Scott Stapp: se reconectando aos fãs

Texto por Carlos Ferracin – Imagens por Rodrigo Monteiro – Edição por André Luiz

De passagem pelo Brasil com show marcado em São Paulo, um simpático e bem humorado Scott Stapp atendeu a imprensa para falar sobre sua carreira solo, Creed, Art Of Anarchy e outros assuntos.

O músico abriu a entrevista falando sobre o motivo de ter escolhido a carreira musical: “Sempre sonhei ser um cantor de rock desde criança. Eu ficava vendo aqueles caras na televisão e pensava ‘Nossa, isso é demais!’. É um sonho realizado poder ser um cantor de rock”.

Um dos pontos abordados foram as suas letras: “Minhas letras de baseiam em experiências pessoais. Não só minhas experiências, mas de qualquer um que me traga inspiração. Talvez por este motivo elas sejam tão profundas. Não existe uma letra preferida. São várias. Talvez as letras do álbum ‘Human Clay’ estejam entre as minhas favoritas”.

No festival de Woodstock, Robby Krieger subiu ao palco e eles tocaram juntos algumas musicas do The Doors. Uma bela homenagem a uma de suas maiores influências. “O show de Woodstock em 1999 foi maravilhoso. Eu olhava aquele mar de pessoas cantando minhas músicas. Robby Krieger (The Doors) tocou conosco. Foi impressionante. Agora, teve um show em Chicago que prefiro esquecer” – prosseguiu citando um show no qual a situação foi inversa a da performance no Woodstock.

O Creed vendeu 60.000.000 de cópias de seus álbuns. Atualmente, a comercialização se dá em grande parte por meio de downloads. Como ele reage a isso? “Os artistas estão aprendendo a lidar com estas coisas como streaming. Além disso, é mais uma forma de se chegar aos fã”.

O Art Of Anarchy foi citado mais de uma vez na coletiva. Interessante notar que ele se referiu como “projeto” ao falar sobre a banda: “Me sinto honrado em ser convidado para substituir Scott Weiland. Gosto muito deste projeto e das coisas que estamos fazendo. O álbum está previsto para março de 2017. Gostaria muito de trazer o Art Of Anarchy para tocar no Brasil. Seria muito especial”.

Scott Stapp foi convidado para entrar no grupo em substituição a Scott Weiland (falecido em dezembro/2015). Com o frontman anterior, a banda já havia lançado um álbum em 2015, após a entrada de Stapp foi lançado um single. Ainda fazem parte Ron “Bumblefoot” Thal (ex Guns ‘n’ Roses) e John Moyer (Disturbed, Adrenaline Mob).

Além do álbum do Art Of Anarchy, ele declarou que em 2017 lançaria um novo álbum solo com “participações especiais”: “É cedo para falar sobre as participações que terei em meu 3º. álbum solo. As músicas ainda não estão totalmente formadas, então fica difícil pensar em convidar alguém por enquanto”.

Indagado por nossa equipe sobre o futuro do Creed e seu relacionamento com Mark Tremonti – atualmente no Alter Bridge – Stapp foi sincero: “Nós conversamos as vezes e o canal encontra-se aberto. Podem esperar algo pro futuro com certeza. Ele é meu amigo, nossas famílias são amigas. Eu desejo o melhor em qualquer coisas que ele faça”.

Mark Tremonti ja declarou que eles pararam de falar um com o outro por conta do Alter Bridge, e desde a inatividade do Creed em 2012, foi lançada uma coletânea da banda com 4 músicas inéditas.

Por ser acostumado em se apresentar em grandes estádios, considerar que os shows da atual turnê estarem ocorrendo em lugares menores pode soar diferente para o frontman. O que ele acha? “Eu mentiria se dissesse que não gosto de tocar em grandes arenas. Eu simplesmente amo aquilo. Mas também é bom tocar em lugares menores, sentir o público mais perto”.

E como tem sido tocar com a banda atual? “Me sinto muito sortudo. Tenho um guitarrista australiano e outro grego! Cada um vem com uma bagagem diferente. E todos são ótimos músicos e fazem grandes performances no palco”.

Para finalizar, um comentário sobre o que esperar de show no Brasil: “Cada noite é diferente – e não estou falando sobre as músicas. Falo sobre a minha performance, cada noite tenho um estado de espirito diferente. Vamos tocar músicas do Creed e alguma coisa de minha carreira solo. Podem esperar que iremos dar o melhor de nós. Esta tour é uma espécie de reconexão com os fãs”

Nossos agradecimentos à Damaris Hoffman e equipe Honorsounds.

 

(Visited 19 times, 1 visits today)