Maximus Festival – 13-05-2017 – São Paulo (Autódromo de Interlagos)

Texto por Álvaro Ramos – Fotos por Felipe Buli– Edição por André Luiz

Após o sucesso da primeira edição, que ocorreu em setembro do ano passado, a organização do Maximus Festival já anunciou que o festival aconteceria novamente em 2017. Ganhando destaque por ser um festival realmente focado nos gêneros dentro do Rock e do Metal, ao contrário da grande maioria dos festivais que acontecem em nosso país, o Maximus conquistou uma legião de fãs que mais uma vez lotaram o Autódromo de Interlagos. Com a organização similar à da edição passada, o festival contou com 3 palcos, sendo os palcos Maximus e Rockatansky lado a lado, e o Thunder Dome um pouco mais distante para que o som não conflitasse com o dos dois principais. O público compareceu em peso, segundo a produção foram 40 mil espectadores (15 mil a mais do que a primeira edição), reafirmando o sucesso do festival e a provável terceira edição no próximo ano, conforme podemos ver abaixo em algumas imagens tanto do público quanto das primeiras apresentações do dia.

Depois dos shows de Nem Liminha Ouviu, Dead Fish, Oitão e Red Fang que já haviam acontecido nos 3 palcos do festival, foi a vez do Hatebreed subir no palco Rockatansky para uma apresentação que apesar de curta, foi matadora e levou diversos fãs da banda à frente do palco. Apesar de ainda ser o início do festival, já havia uma grande quantidade de fãs que cantavam e até mesmo iniciavam rodas durante a apresentação dos norte-americanos. Com apenas uma música nova no setlist, o show contou com a maioria das músicas mais esperadas pelo público, como “Destroy Everything”, “I Will Be Heard” e “Honor Never Dies”.

Set List Hatebreed:
To The Threshold
Destroy Everything
Looking Down The Barrel Of Today
Empty Promises
Beholder Of Justice
As Diehard As They Come
Driven By Suffering
Tear It Down
This Is Now
Last Breath
Honor Never Dies
Live For This
I Will Be Heard

Os canadenses do The Flatliners também fizeram uma apresentação muito enérgica, agitando os fãs que aguardavam pelo Pennywise, que seria a próxima atração do palco Thunder Dome. Chris Cresswell e companhia agradaram o público com o punk rock sem frescuras, pena que simultaneamente havia a apresentação do Böhse Onkelz, ou seja, ou o público assistia um ou o outro show. Mas é claro, o primeiro grande momento do palco veio quando os californianos do lendário Pennywise iniciaram a apresentação que foi uma verdadeira aula de punk rock, com uma hora só de clássicos, praticamente. O setlist contou principalmente com faixas mais conhecidas dos quase 30 anos de carreira da banda, assim como covers de Ramones e Bad Religion. Com rodas punks por toda a parte e um público eufórico, o show desfilou hinos do punk rock como “Fuck Authority” e “Bro Hymn”.

Set List The Flatliners:
Sew My Mouth Shut
Eulogy
Resuscitation Of Tthe Year
Liver Alone
Hang My Head
Meanwhile, In Hell…
Carry The Banner
Human Party Trick
Monumental
Shithawks
Indoors
Count Your Business
Fred’s Got Slacks

Set List Pennywise:
Wouldn’t It Be Nice
Same Old Story
My Own Country
Peaceful Day
Perfect People
Can’t Believe It
Do What You Want
Blitzkrieg Bop
Pennywise
The World
As Long As You Can
Society
Alien
Stand By Me
Fuck Authority
Bro Hymn

No palco Rockatansky, os fãs de Ghost já começavam a se aglomerar, aguardando uma das atrações mais esperadas por parte considerável do público. Com apenas 7 músicas e debaixo de um forte sol no palco (o vocalista Papa Emeritus III surgiu no stage usando óculos de sol, inclusive), o show do Ghost não foi exatamente como imaginamos ao lembrar da banda, já que o horror e a escuridão são os seus principais elementos. Mas ainda assim, Tobias (ou Papa Emeritus III) e os Nameless Ghouls realizaram um show impecável dentro das possibilidades, contando com grande ajuda do público que cantava junto com a banda durante todo o set list, que trouxe apenas “Ritual” do primeiro álbum. O restante do show foi composto por músicas do segundo e terceiro álbuns. Apesar do excelente show, os fãs sem dúvida ficaram com um gosto de quero mais, e desejando que a banda retorne logo para um show solo para que possamos mais uma vez ver a apresentação completa e teatral do Ghost.

Set List Ghost:
Square Hammer
From The Pinnacle To The Pit
Ritual
Cirice
Year Zero
Absolution
Mummy Dust

No palco Maximus, um dos shows mais aguardados do dia aconteceu: 21 anos após sua última passagem por São Paulo, Rob Zombie finalmente se apresentou por aqui, com sua banda que conta com nomes de peso do cenário industrial/horror; John 5, Piggy D. e Ginger Fish. Com clássicos de sua carreira solo e também de sua ex-banda, White Zombie, o show ainda teve “School’s Out”, cover de seu amigo Alice Cooper, que fechou a primeira parte da apresentação. “Dragula”, “Living Dead Girl” e “More Human Than Human” foram também alguns dos pontos altos do show. Assim como citado anteriormente sobre o show do Ghost, Rob Zombie também é um show que combina muito mais com a noite, para que o cenário de horror se completasse. Os fãs que foram ao festival para conferir a apresentação do Zombie com certeza ficaram satisfeitos e conseguiram matar um pouco da saudade após tantos anos, mas com certeza já aguardam também uma volta para um show solo e completo.

Set List Rob Zombie
Dead City Radio And The New Gods Of Supertown
Superbeast
Demonoid Phenomenon
In The Age Of The Consecrated Vampire We All Get High
Living Dead Girl
Scum Of The Earth
Well, Everybody’s Fucking In A UFO
More Human Than Human
Never Gonna Stop
The Hideous Exhibitions Of A Dedicated Gore Whore
House Of 1000 Corpses
John 5 Solo
Thunder Kiss 65 / School’s Out

The Lords Of Salem
Get Your Boots On! That’s the End Of Rock Aand Roll

Dragula

Com doze anos de banda, os americanos do Five Finger Death Punch levaram uma legião de fãs ao festival, os quais aguardavam ansiosamente pela primeira apresentação da banda em solo paulistano em seu debut no país – haviam  se apresentado nas noites anteriores em Belo Horizonte e Rio de Janeiro. Sem dúvida alguma, o show correspondeu às expectativas, com todo o peso já esperado. Com clássicos que os fãs puderam finalmente ver ao vivo, o show ainda teve um momento mais que especial, quando o vocalista Ivan Moody convidou vários fãs para se unirem a ele e à banda no palco durante a execução de “Burn MF”. “Wash It All Away”, “Coming Down” e uma versão acústica de “Remember Everything” foram também outros pontos altos do show.

Set List Five Finger Death Punch:
Lift Me Up
Never Enough
Wash It All Away
Got Your Six
Bad Company
Jekyll And Hide
Burn MF
Remember Everything
Coming Down
Under and Over It
The Bleeding

Mesmo tendo sido marcado para o mesmo horário do show do Slayer, o Rise Against levou milhares de fãs para o palco Thunder Dome, e a banda fez uma apresentação impecável, com destaque para a performance do icônico Tim McIlrath, que além de todo o seu carisma e interação com o público durante o show, fez ainda uma performance emocionante somente com sua voz e violão das belas “I Don’t Want To Be Here Anymore” e “Swing Life Away”. Mas foi ao término do show, com “Savior”, que o Rise Against fechou a noite do palco Thunder Dome da melhor maneira possível, incendiando os fãs que abriam as rodas por toda parte.

Set List Rise Against:
Ready To Fall
The Good Left Undone
Re-Education
Satellite
The Violence
Architects
Help Is On The Way
Give It All
Black Masks & Gasoline
I don’t Want To Be Here Anymore
Prayer Of The Refugee
Hero Of War
Swing Life Away
Audience Of One
Savior

Enquanto o Rise Against levava seu hardcore ao público no palco Thunder Dome, os veteranos do Slayer destruíam o palco Maximus com um show matador, quase que literalmente. Clássicos como “Hell Awaits”, “Raining Blood” e “Angel Of Death” fizeram com que as maiores rodas do festival se formassem por toda a pista do palco Maximus, o que chegou a inclusive machucar diversos fãs que aguardavam o show do Linkin Park e não faziam ideia da “porradaria” que tradicionalmente acontece nos shows do Slayer.  Intenso, rápido e sem grandes paradas para conversas, Tom Araya comandou uma belíssima aula de trash metal bem ao estilo Slayer, e mostrou o motivo de serem um dos maiores, se não o maior nome do thrash mundial.

Set List Slayer:
Repentless
Disciple
Postmortem
Hate Worldwide
War Ensemble
When The Stillness Come
Mandatory Suicide
Fight Till Death
Dead Skin Mask
Seasons In The Abyss
Hell Awaits
South Of Heaven
Raining Blood
Black Magic
Angel Of Death

Mais uma das bandas que vieram pela primeira vez ao Brasil, o Prophets Of Rage é formado por membros do Rage Against The Machine, Public Enemy e Cypress Hill, e foi a banda escolhida para fechar o palco Rockatansky. Durante uma hora e vinte, tocaram na grande maioria do show os clássicos do Rage Against The Machine, além de músicas das outras bandas dos membros e uma versão de “Seven Nation Army”, cover do The White Stripes. Como não poderia deixar de ser, “Killing In The Name” encerrou o show com um coro de 40 mil pessoas que a cantavam em uníssono.

Set List Prophets Of Rage:
Prophets Of Rage
Testify
Take The Power Back
Guerrilla Radio
How I Could Just Kill A Man
Bombtrack
Kick Out The Jams
Fight The Power
Hand On The Pump / Can’t Truss It / Insane In The Brain / Bring The Noise / I Ain’t Goin’ Out Like That / Welcome To The Terrordome / Jump Around
Sleep Now In The Fire
Bullet In The Head
Know Your Enemy
Unfuck The World
Seven Nation Army
Bulls On Parade
Killing In The Name

Já o Linkin Park foi uma grande surpresa. Antes do festival, muitos fãs haviam contestado a escolha da banda como headliner do Maximus, já que o grupo é de um estilo completamente oposto da maioria das outras que se apresentaram no mesmo dia, e também do headliner anterior, os alemães do Rammstein que fecharam o Maximus Festival de 2016. Mas Chester Bennington e Mike Shinoda mostraram desde o começo do show que não vieram à toa, e conseguiram empolgar todo público, até mesmo os que não estavam lá especificamente para vê-los. Em momentos como “Numb”, “Burn It Down”, “Faint” e “What I’ve Done”, chegou a ser um show nostálgico para a geração dos vinte e poucos anos. Mesmo quem não gostava da banda ouviu as músicas mais antigas como “In The End” por muitos anos, e acabou curtindo o show ao vivo, principalmente pelo carisma e pela qualidade dos músicos. “Bleed It Out” foi a música escolhida para encerrar o show do Linkin Park, fechando assim a segunda edição do Maximus Festival.

Set List Linkin Park:
The Catalyst
Wastelands
Talking To Myself
Burn It Down
One Step Closer
Castle Of Glass
Good Goodbye
Lost In The Echo
Battle Symphony
New Divide
Breaking The Habit
Crawling
Leave Out All the Rest
Somewhere I Belong
What I’ve Done
In The End
Faint
Numb
Heavy
Papercut
Bleed It Out

Com bandas que abrangeram os mais diversos estilos dentro do rock e metal, o Maximus mostrou que é um festival que veio para ficar, e merece destaque pela organização, estrutura, escolha das bandas, e também pelo sistema de compra de comidas, bebidas, e merchandising das bandas através da pulseira Cashless, o que faz com que as filas sejam muito menores e rápidas se comparadas com as de outros festivais. Não podemos deixar de parabenizar também os mais de quarenta mil fãs que estiveram no Autódromo no último sábado, mostrando que o metal está vivo e que é possível sim haver festivais sem artistas pop e de outros gêneros “mais acessíveis” em seu line-up. Vida longa ao Maximus Festival! Agradecimentos á Move Concerts e Midiorama pela produção doe vento e credenciamento de nossa equipe.

(Visited 457 times, 1 visits today)