De La Tierra – 01-11-2017 – São Paulo (Tropical Butantã)

Texto por Alvaro Ramos – Fotos por Felipe Buli – Edição por André Luiz

De volta a São Paulo após dois anos – shows em 2014 em show solo e 2015 no festival Monsters Of Rock –, o De La Tierra retornou a São Paulo para apresentação única, que aconteceu na Tropical Butantã na quarta-feira, 01, pelo projeto Honorsounds. Com letras em espanhol ou português – fugindo do tradicional inglês utilizado pela maioria das bandas –, o De La Tierra foi formado em 2013 como um projeto paralelo de membros de bandas latino-americanas, e em suas letras é sempre presente a crítica aos problemas e preconceitos enfrentados pelos latinos, além da valorização de nossa cultura. Atualmente a banda é formada por Andrés Giménez (vocalista e guitarrista da banda argentina A.N.I.M.A.L), Andreas Kisser (lendário guitarrista do Sepultura), Alex González (baterista do Maná, uma das maiores e mais conhecidas bandas mexicanas) e o novo baixista, Harold Hopkins (da banda porto-riquenha Puya), que ainda não tinha se apresentado em terras brasileiras.

A abertura ficou por conta do Armored Dawn, banda paulista que vem ganhando cada vez mais destaque entre os fãs de metal. Apesar de o estilo diferente da atração principal da noite, a banda foi bem recebida pelo público, e vários fãs com camisetas do Armored Dawn podiam ser vistos cantando as músicas do debut album ‘Barbarians In Black’ no decorrer do show, o qual durou aproximadamente 40 minutos e agradou boa parte dos presentes.

Set List Armored Dawn:
Chance To Live Again
Eyes Behind The Crow
Bloodstone
Men Of Odin
Viking Soul / Bass Solo
Survivor
Sail Away
Gods Of Metal / Keyboard Solo
Beware Of The Dragon

No horário marcado para o show principal da noite, 22h, se iniciou uma introdução breve e momentos depois entraram no palco da Tropical Butantã Andrés Giménez, Andreas Kisser, Harold Hopkins e Alex González, os quais ao som de “Maldita Historia” – música esta que foi o primeiro clipe da banda e se tornou uma das mais conhecidas da mesma – já iniciaram o show com o “pé na porta”, e sem parada para respirar, continuaram com “Señales”, faixa do segundo e mais recente álbum da banda ‘II’, lançado em 2016.

Após “Señales”, Andrés fez a primeira pausa no show para conversar com o público, e ao tentar falar uma mistura de espanhol com português, foi interrompido de forma bem humorada por Andreas Kisser o qual disse ser o único no palco que seria bem entendido pelo público, e que ninguém lá estava entendendo o que Giménez dizia, causando risos no público. Mas continuando, Andrés e Andreas agradeceram aos fãs pela presença, Andrés disse que é sempre uma honra poder tocar no Brasil, terra de Andreas Kisser e um país muito querido.

Sob aplausos e gritos de “De La Tierra! De La Tierra!”, o show seguiu com uma sequência brutal, mesclando músicas dos dois álbuns da banda; faixas como “Rostros”, “Valor Interior”, “San Asesino”, “Somos Uno” e “Chamán de Manaus” foram executadas, sempre com pausas nas quais Andrés e Andreas conversavam com os fãs e aproveitavam para passar mensagens sobre valorização da cultura latino-americana, de nossos povos e países – mensagem essa que é uma das mais presentes nas letras da banda –, além de críticas aos problemas enfrentados principalmente na parte política.

Sempre com muito carisma, Alex também foi ovacionado por grande parte do público em vários momentos, principalmente quando se levantava da bateria para tocar, e apesar da agressividade e força como baterista, foi extremamente simpático com os fãs, aproveitando para interagir com os que estavam mais próximos do palco sempre que havia alguma pausa para as falas no show. Dando continuidade no set list, após “Cienágas de Odio”, foi a vez da faixa do segundo álbum “Fome” encerrar a primeira parte da apresentação. Após distribuir algumas palhetas, Andreas Kisser agradeceu novamente aos fãs e deixou o palco, assim como o restante da banda.

Atendendo aos pedidos do público, que gritava em bom tom o nome da banda, Andrés e companhia voltaram ao palco, e Andrés perguntou se os fãs queriam mais uma música. A resposta obviamente foi positiva, e Andrés emendou dizendo que não tocariam apenas uma, mas duas: “Sangramos al Resistir” foi escolhida para abrir o bis, e após uma performance incrível de toda a banda, Andrés fez uma pequena pausa antes de entregar sua guitarra a um roadie e permanecer no palco apenas com o microfone para a música derradeira da noite, “Cosmonauta Quechua”, com Andrés se colocando à frente do palco sentado em uma caixa de som, interagindo diretamente com os fãs que se empurravam para poder chegar mais perto do vocalista.

Para surpresa de todos, conforme a música seguiu, Andrés pulou do palco para o meio do público, encerrando assim da forma mais próxima e enérgica possível, cantando e pulando com os fãs, e em alguns momentos até dividindo o microfone com pessoas da plateia que ousaram cantar trechos da música. Mais uma vez, o músico retornou ao microfone para agradecer a cada um dos fãs que saíram de casa para estar no Tropical Butantã, e Andreas aproveitou para dar suas últimas palavras de agradecimento. A banda continuou no palco por mais alguns minutos distribuindo palhetas/baquetas e interagindo com os fãs, até deixar definitivamente o palco aplaudida pelos fãs que, satisfeitos, puderam presenciar um show que além de boas canções e músicos excelentes tecnicamente, demonstrou o carisma e o lado engajado nas causas dos membros da banda através da valorização da nossa cultura. Agradecimentos Honorsounds e Hoffman & O’Brian.

Set List De La Tierra:
Maldita Historia
Señales
Rostros
Valor Interior
San Asesino
Puro
Detonar
Dois Portais
Somos Uno
Sin Límites
Chamán de Manaus
Ciénagas de Odio
Fome

Sangramos al Resistir
Cosmonauta Quechua

(Visited 94 times, 1 visits today)