AC/DC: luto no rock mundial com anúncio de falecimento de Malcolm Young

Texto por Rodrigo Gonçalves – Edição por André Luiz

O guitarrista e membro fundador do AC/DC, Malcolm Young, faleceu aos 64 anos, segundo informou um comunicado feito no site oficial da banda. Malcolm deixa esposa, dois filhos e três netos.

Malcolm havia se aposentado em 2014, quando anunciado que o guitarrista sofria com estágio avançado de demência e não tinha mais condições de tocar ao vivo ou sequer continuar gravando junto ao grupo. Com isso, ele não participou das sessões de gravação do álbum ‘Rock Or Bust’, lançado em 2015. Seu sobrinho, Stevie Young o substituiu desde então.

Ao lado de seu irmão Angus, Malcom fundou o AC/DC no começo da década de 1970. Sua visão e perseverança foram fundamentais para que a banda alcançasse o sucesso. Enquanto Angus era a “cara” da banda e responsável pela parte do espetáculo em cima do palco, Malcolm escreveu boa parte dos riffs que fizeram a banda ser conhecida além de excelente letrista, tendo ao lado de Bon Scott escrito muitos dos clássicos da banda.

Foi a segunda perda para a família Young em menos de um mês – no fim do mês passado, George Young, irmão mais velho de Malcolm e Angus, também havia falecido. As causas da morte não foram divulgadas. George, foi um músico de sucesso na Austrália, ajudou a moldar o som e a produzir os primeiros álbuns do AC/DC.

Leia abaixo o comunicado oficial de Angus Young no site da banda:

“Hoje é com o coração pesado que temos que anunciar o falecimento de Malcolm Young.

Malcolm, ao lado de Angus, foi o fundador e criador do AC/DC.

Com enorme dedicação e comprometimento ele foi a força por trás do sucesso da banda e que a manteve seguindo em frente.

Enquanto guitarrista, letrista e visionário ele era um perfeccionista e um homem único.

Ele sempre era verdadeiro aos seus princípios e fez exatamente o que queria.

Ele sempre se orgulhou muito de tudo aquilo que se propôs a fazer.

Sua lealdade aos fãs era inigualável.

Na condição de seu irmão, é difícil de expressar em palavras o que ele significou para mim durante a minha vida, a ligação que nós tínhamos era única e muito especial.

Ele deixa para trás um enorme legado que irá viver para sempre.

Malcolm, bom trabalho.”

(Visited 176 times, 1 visits today)