Kid Vinil: uma saudação ao ícone dos anos 80

Texto por Irã Margarido – Fotos por acervo pessoal Irã Margarido e divulgação – Edição por André Luiz

Dia 10 de março, aniversário de um cara que foi sensacional para o mundo da música brasileira, Kid Vinil. Se estivesse vivo, completaria 63 anos. Morreu cedo, mas deixou um legado importante, pois muitos foram seus seguidores que de certa forma se inspiraram ou ainda se inspiram no seu jeito descontraído de informar o que acontece no mundo da música em todas as suas vertentes.

Sempre o acompanhei por saber que ele era uma fonte de informação sem fim. Ele foi cantor, radialista, compositor, apresentador de televisão e jornalista. Por onde passava seu recado era dado com muita simpatia e irreverência, sua marca registrada. Deixava de lado o protocolo e apresentava uma banda nova como realmente deve ser, de maneira divertida. Foi destaque em várias rádios importantes como 89FM, 97FM e Brasil 2000, misturando clássicos com lançamentos. No início de carreira, em seus programas de rádio na Excelsior e Antena 1, divulgou inúmeras bandas punk, não apenas internacionais mas nacionais também, de fato um dos porta-vozes do movimento nos anos 80 – como podemos perceber nos links mais abaixo.

Foi fundamental para o início de uma revolução musical na qual a música alternativa começava a ganhar o seu espaço. Na televisão, programas como Som Pop e Boca Livre eram outras fontes de pura energia. Isso me fazia gostar cada vez mais dessa alquimia sonora. Minha formação musical veio dele e de outros nomes que também o acompanhavam nessa empreitada como José Roberto Mahr, Selma Boiron, Sonia Abreu e Roberto Maia, entre outros. Hoje as coisas são mais fáceis com a internet, mas nos anos 80 ele era o cara. Muitos seguiram esse “way of life” e entenderam como a vontade incontrolável de buscar coisas novas é importante e nos alimenta a cada dia, saciando nossos ouvidos e dando prazer a nossa mente. Sem falar nas festas que ele participava em grandes casas de São Paulo. No circuito pop e underground ele também era referência, em especial com a banda Magazine.

Como já mencionei, Kid Vinil deixou seu legado e seguidores que entenderam muito bem essa receita, dos quais podemos citar Lúcio Ribeiro, Fábio Massari, André Barcinski, Paulo Cesar Martin, Gastão, Eneas Neto, DJ Magal, DJ Tonyy, Marcos Vicente, Gé Rodrigues, etc… Nos dias de hoje, há programas que lembram bem os que o Kid fazia nos 80’s, um bom exemplo é o Heavy Pero No Mucho do Thiago DJ – possui muito em comum com os programas abaixo.

Sendo assim o que posso dizer? Parabéns Kid pelo aniversário e muitíssimo obrigado por tudo isso! E como te falei um dia, grato também por ter me apresentado o Alien Sex Fiend.

Rádio Excelsior – Programa Kid Vinil (1980 e 1981)

Rádio Antena 1 – Programa New Beat (1985)

(Visited 158 times, 2 visits today)