Ozzy Osbourne – 13-05-2018 – São Paulo (Allianz Parque)

Texto por Alvaro Ramos – Fotos por Ross Halfin (T4F / Ozzy Crew) – Edição por André Luiz

Após quase cinco décadas de carreira e conhecido tanto como frontman do Black Sabbath como pela sua carreira solo de imenso sucesso, o lendário Ozzy Osbourne, um dos maiores ícones do Heavy Metal, anunciou recentemente a “No More Tours 2”, que supostamente está sendo sua última turnê mundial. E o Brasil teve a sorte de mais uma vez receber o Príncipe das Trevas, desta vez com shows em São Paulo, Curitiba, Belo Horizonte e Rio de Janeiro, respectivamente.

No domingo, 13, foi a vez do Allianz Parque receber o possível último show do Ozzy em terras paulistas, tornando a noite ainda mais especial para os fãs que lá estavam. Mesmo não mudando praticamente nada nos shows e executando os mesmos sets em quase todas as cidades, o show do madman nunca decepciona: teve Ozzy jogando baldes de água nos fãs, abaixando a calça e mostrando a bunda para o público, e como não poderia ser diferente, clássicos de sua carreira e do Black Sabbath do começo ao fim.

Alguns minutos antes do horário previsto para o início do show, o Allianz Parque escureceu, e no telão se iniciou uma sequência de imagens de Ozzy, fazendo uma linha desde sua infância até os dias mais recentes. Pontualmente às 21h30m, o madman levou o estádio lotado – 43 mil pessoas segundo a produtora – à loucura ao surgir no palco acompanhando de sua banda: seu companheiro de longa data Zakk Wylde (que retornou à banda após alguns anos fora), Adam Wakeman, Blasko e Tommy Clufetos (que foi também o baterista da turnê de despedida do Black Sabbath). Ao som de “Bark At The Moon”, o show já se iniciou trazendo um dos maiores êxitos de sua carreira solo. Logo de primeira já podia-se notar que a voz de Ozzy estava em boa forma, melhor inclusive do que em passagens anteriores por aqui.

Na sequência, Adam Wakeman introduziu no teclado os famosos acordes de “Mr. Crowley”, do álbum ‘Blizzard Of Ozz’, de 1980, uma das mais conhecidas e queridas músicas da carreira do vocal. “I Don’t Know” foi executada logo depois, seguida pelo primeiro momento que emocionou os fãs de Black Sabbath: “Fairies Wear Boots”, uma das faixas mais adoradas do álbum ‘Paranoid’, enquanto o telão exibia imagens distorcidas combinando com a letra da música, como se fosse uma “viagem” causada por efeitos de substâncias químicas. Definitivamente um dos pontos mais legais do show, principalmente para mais apaixonados por Black Sabbath.

Com “Suicide Solution”, “No More Tears” e “Road To Nowhere” (momento mais que emocionante) o show seguiu, para depois mais uma do Black Sabbath ser executada; uma versão incrível de “War Pigs” com mais de 10 minutos de duração, e emendando em um solo do guitarrista Zakk Wylde que ficou como estrela do palco já que Ozzy o deixou sozinho para ser o centro das atenções por um momento. Zakk executou ainda um medley com “Miracle Man”, “Crazy Baby”, “Desire” e “Perry Mason”, aproveitando para descer do palco e tocar insanamente frente a frente com os fãs que se encontravam na grade. Foi a vez de Wylde deixar o palco e o excelente Tommy Clufetos fazer um longo solo de bateria, interagindo com o público a cada parada.

Passado o longo solo de bateria, Ozzy voltou ao palco para execução de “Flying High Again”, “Shot In the Dark”, “I Don’t Wanna Change The World” e “Crazy Train”, esta última tendo sido cantada em coro pelos milhares de fãs, e fechando assim a primeira parte do show. O Madman agradeceu os fãs e deixou o palco. Após menos de um minuto, o próprio Ozzy começou a cantar de dentro dos bastidores o coro de “Ole, ole ole ole Ozzy, Ozzy”, o qual fora obviamente respondido pelos fãs.

Ozzy e banda retornaram ao palco para um dos pontos mais altos do show: “Mama I’m Coming Home”, do álbum ‘No More Tears’ e que foi composta pelo próprio madman em parceria com o eterno Lemmy Kilmister, fundador e vocalista do Motorhead. Na execução das mesmas, um show à parte de luzes no palco e também dos fãs, que acenderam os flashes de seus celulares e deixaram o Allianz Parque claro em plena noite. Logo depois, “Paranoid” faixa-título do álbum homônimo veio para encerrar a histórica noite. Após mais agradecimentos e uma despedida, Ozzy e companhia saem do palco, deixando assim uma sensação de satisfação e tristeza aos fãs que puderam conferir de perto o show memorável.

Em uma entrevista recente, Ozzy não descartou a possibilidade de voltar ao Brasil para shows pontuais em eventos ou festivais no futuro. Esperamos que esta não seja a última aparição do madman no país, pois apesar de muitas pessoas reclamarem de bandas e artistas que anunciam sua aposentadoria e retornam com novas turnês ou shows, a verdade é que ícones como Ozzy Osbourne podem ir e voltar quantas vezes quiserem. Seja sempre muito bem-vindo, madman. Voltando ou não, o que podemos dizer independentemente de qualquer coisa, é obrigado por tudo! Agradecimentos à T4F.

Set List Ozzy Osbourne:
Bark At The Moon
Mr. Crowley
I Don’t Know
Fairies Wear Boots
Suicide Solution
No More Tears
Road To Nowhere
War Pigs
Zakk Wylde Solo
Medley Miracle Man / Crazy Baby / Desire / Perry Mason
Tommy Clufetos Solo
Flying High Again
Shot In The Dark
I Don’t Want To Change The World
Crazy Train

Mama, I’m Coming Home
Paranoid

 

(Visited 114 times, 18 visits today)