Ozzy Osbourne – 20-05-2018 – Rio de Janeiro (Jeunesse Arena)

Texto por Rodrigo Gonçalves – Fotos por Alexandru Oita (Facebook Ozzy) e Ross Halfin (T4F / Ozzy Crew) – Edição por André Luiz

O Rio de Janeiro foi a última cidade brasileira a receber um show da ‘No More Tours 2’. O lendário vocalista se apresentou na noite de domingo (20) diante de uma Jeunesse Arena que recebeu mais de 10 mil pessoas ávidas pelo último contato com o ídolo no país.

E quem teve a oportunidade de ir, certamente não saiu decepcionado. Por conta das limitações impostas pelo tempo, o madman vem há anos optando por uma apresentação mais enxuta, em que dá aos fãs cerca de 90 minutos de um show divertido e intenso, no qual apoiado por uma banda excelente e que toca junta há muitos anos, exibe forma surpreendente, e não aparenta ter maiores problemas para levar o show até o fim – o que nem sempre foi o caso em jornadas mais recentes.

Boa parte da empolgação do público com o show veio do fato de Ozzy ter recrutado novamente o guitarrista Zakk Wylde, um de seus maiores parceiros musicais. Com ele, a banda do madman ganha em identidade, peso e espetáculo. Este último fato pôde ser comprovado durante “War Pigs”, no qual o guitarrista improvisou um solo espetacular enquanto transitava pelo meio do público com a guitarra nas costas.

Outro fator que contribuiu bastante para engrandecer o show foi o set list, escolhido de forma bem inteligente e que privilegiou a extensa carreira solo do artista – com os álbuns ‘Blizzard Of Ozz’ e ‘No More Tears’ tendo grande destaque ao emprestar 4 músicas cada para o repertório. Das 15 canções apresentadas diante dos cariocas, apenas 3 foram do Black Sabbath, atitude louvável e mais do que acertada, visto que a mesma esteve recentemente pelo Brasil – dezembro de 2016 – durante a turnê de despedida.

A noite começou com um breve vídeo resumindo a vida de Ozzy ao som de “O Fortuna”, da ópera “Carmina Burana” antes de o cantor e sua banda entrarem em cena detonando a dobradinha “Bark At The Moon” e “Mr. Crowley”. Logo em “I Don’t Know” e “Fairies Wear Boots” (com participação do tecladista Adam Wakeman na guitarra), Zakk Wylde mostrou porque Ozzy o chamou de volta para a banda. O show seguiu em alta voltagem com as excelentes “Suicide Solution” – escrita em homenagem ao amigo Bon Scott – e “No More Tears”, um dos maiores clássicos da carreira solo do homem morcego e que fez a Arena explodir em cantoria.

Após dar uma quebrada no ritmo com a insossa “Road To Nowhere”, as coisas voltaram a esquentar com o clássico do Sabbath “War Pigs”. Gravada há quase 50 anos, impressiona como essa música continua atual. O show voltaria a ter uma quebrada no ritmo com a execução do medley “Miracle Man / Crazy Babies / Desire / Perry Mason” seguida de longos solos de guitarra e bateria, estes últimos totalmente compreensíveis e necessários, pois servem para dar a Ozzy, uma chance de descansar e partir para a parte final da apresentação – um descanso muito bem-vindo para quem completa 70 anos em dezembro.

Na volta, “Shot In The Dark”, a única do álbum ‘The Ultimate Sin’ a figurar no set list foi executada e agradou em cheio, assim como “Crazy Train”. Após breve pausa, ainda deu tempo para emocionar o público com a belíssima “Mama, I’m Coming Home” e o clássico “Paranoid”, tipo de música perfeita para encerrar um show em alta.

Parece que nos últimos anos tenho escrito cada vez mais sobre o assunto despedida. Foi assim com o Motörhead em 2015, e com o Deep Purple em dezembro último. Nem sempre temos a noção de que estamos nos despedindo do artista do qual admiramos (caso do Motörhead em 2015), por isso despedidas como essa de Ozzy Osbourne e do Deep Purple são tão importantes. Embora alguns se mantenham céticos quanto às verdadeiras intenções dos artistas em deixar as turnês de lado, a verdade é que devemos celebrar chances como essas de nos despedirmos dos artistas que passamos anos ou décadas acompanhando, com uma apresentação em grande estilo como foi a deste domingo. Agradecimentos T4F e Nobre Assessoria.

Set List Ozzy Osbourne:
Bark At The Moon
Mr. Crowley
I Don’t Know
Fairies Wear Boots
Suicide Solution
No More Tears
Road To Nowhere
War Pigs
Miracle Man / Crazy Babies / Desire / Perry Mason
(Zakk Wylde’s guitar solo)
Drum Solo
Shot In The Dark
I Don’t Want To Change The World
Crazy Train

Mama, I’m Coming Home
Paranoid

(Visited 73 times, 1 visits today)