Steven Wilson – 27-05-2018 – São Paulo (Carioca Club)

Texto por Edi Fortini – Fotos por Edi Fortini – Edição por André Luiz

A quarta passagem do músico e cantor britânico de rock progressivo Steven Wilson pelo Brasil aconteceu no domingo, 27, e contou com casa cheia, três horas de show, flash mob e até um casamento na plateia. Quem acompanha os shows de Steven Wilson desde a primeira apresentação por aqui em 2012 conseguiu perceber como seu público cresceu no Brasil e como os shows passam por uma melhoria constante a cada turnê.

O músico veio dessa vez divulgar seu mais recente álbum, ‘To The Bone’, lançado em 2017 e que o levou direto à várias paradas de vendas em muitos países. Trazendo composições mais diversificadas do que usualmente faz, Steven adquiriu muitos novos fãs para o universo do rock progressivo, mas também despertou a ira de muitos fãs mais radicais do estilo. Seu público no show de ontem era bem diversificado em estilo e faixas etárias, inclusive com muitos menores de idade (devidamente autorizados pelos pais), nos dando uma pitada de esperança sobre a nova geração de apreciadores da boa música.

O show, anunciado em outubro de 2017, trouxe muita expectativa aos fãs que se juntaram para combinar caronas, encontros e trocar ansiedades. Como resultado dessa união, a página Steven Wilson Brasil entregou em mãos uma carta ao músico durante apresentação no Canadá falando, dentre outras coisas, que os fãs do Brasil gostariam de ter uma oportunidade de conhecê-lo. O famoso charme brasileiro foi tanto, que Wilson e seu  tour manager combinaram um meet and greet para 30 fãs sorteados que o conheceram antes do show.

Pontualmente às 20h, a tela de projeção holográfica se acendeu com informações para o show e o aviso de que o mesmo não deveria ser fotografado ou filmado. A banda se posicionou e Steven subiu ao palco já ao som de “Nowhere Now”,  segunda faixa de ‘To The Bone’. A segunda música apresentada, “Pariah”, trouxe imagens da vocalista israelense que divide a canção com ele, Ninet Tayeb, e assim que sua imagem foi exibida, um mar de celulares surgiu na pista do Carioca Club – desrespeitando as instruções prévias do show –, sendo uma das músicas mais esperadas da noite.

Antes da terceira música, “Home Invasion”, Wilson cumprimentou a plateia e pediu desculpas antecipadas por estar doente ali no palco, e caso ele parecesse mais abatido, esse seria o motivo. Também mencionou que dos shows recentes, esse era um muito esperado e até por isso era uma pena estar adoentado. O show continuou com certamente uma das melhores qualidades técnicas de som que o Carioca Club já viu na vida. Com poucas mudanças na formação desde seu último show no país em 2016, a banda conta – além de Steven – com Nick Beggs no baixo, Adam Holzman no teclado, Craig Blundell na bateria e Alex Hutchings na guitarra. Antes do Brasil, a banda passou pelo Chile e Argentina, com shows lotados. Depois de São Paulo, a banda anunciou uma pequena pausa até a retomada para shows na Europa ao final de junho.

Um intervalo de 15 minutos seguiu após o primeiro set, quando a banda retomou com “Arriving Somewhere But Not Here” (versão para o Porcupine Tree), seguida de uma pausa para conversa com o público. Ali, ele ressaltou o aviso de que o uso de celulares era proibido, não porque atrapalhava a banda, mas sim às pessoas na plateia – informativo este que muitos músicos além dele deveriam adotar, pois alguns shows são quase impossíveis de se ver devido aos celulares (e por vezes tablets) apontados para o alto.

A deliciosa e demasiadamente dançante “Permanating” contou com um flash mob combinado pelos fãs, que utilizaram pequenos pedaços de panos coloridos e pulseiras de neon, para deixar o ambiente ainda mais divertido. De sua antiga banda, Porcupine Tree, executaram as versões para “The Creator Has A Mastertape”, “Arriving Somewhere But Not Here”, “Lazarus”, “Heartattack In A Layby” e “Sleep Together”, sempre com bastante entusiasmo dos presentes acompanhando as letras das músicas.

O bis contou com “Blackfield” – música de seu homômino projeto com o israelense Aviv Geffen –, seguida de “Postcard” e um novo pedido de desculpas por ele estar adoecido e se apresentar sentado nas últimas músicas. Em momento descontraído, veio mais uma das surpresas da noite: Steven ressaltou que não costumava atender aos pedidos de músicas de fãs e mesmo que esses gritassem, não seriam atendidos. Porém, na noite de São Paulo, um casal – Miriam e Andrew – conversou com ele no meet and greet e informou que estava oficializando o seu casamento naquele dia, e “Harmony Korine” havia sido um tema especial para eles. Steven abriria uma exceção aos seus shows e seguiu com a faixa tema do casal presente na primeira fila, ainda com  a noiva usando o seu vestido da ocasião. Na mesma noite, os fãs Tamires e Felipe também aproveitaram a ocasião para noivarem.

E com quase três de horas de show, Steven avisou que “Song Of Unborn” seria a última música da noite com um discurso comovente, incentivando a todos a fazerem de sua existência algo relevante para o mundo, que se encontra numa situação bem precária, além de divagar por questões que diz não entender como pessoas que são a favor de armas, que ainda comem carne e que acreditam em deus. Depois de uma semana demasiadamente tensa e incerta em terras brasileiras, passar horas em companhia dos ingleses foi, para muitos fãs, como um sonho, durante o qual mesmo o estado de saúde do músico quase não interferiu na tamanha qualidade de seu espetáculo. Agradecimentos à produtora Overload e The Ultimate Music pelo credenciamento de nossa equipe na cobertura do evento.

Set List Steven Wilson:

Set 1:
Nowhere Now
Pariah
Home Invasion
Regret #9
The Creator Has A Mastertape (Porcupine Tree)
Refuge
People Who Eat Darkness
Ancestral

Set 2:
Arriving Somewhere but Not Here (Porcupine Tree)
Permanating
Song Of I
Lazarus (Porcupine Tree)
Detonation
The Same Asylum As Before
Heartattack in a Layby (Porcupine Tree)
Vermillioncore
Sleep Together (Porcupine Tree)

Bis:
Blackfield (Blackfield song)
Postcard
Harmony Korine
Song Of Unborn

(Visited 496 times, 7 visits today)