Tarja – 01-09-2018 – São Paulo (Tom Brasil)

Texto por Sara Ferrer – Fotos por Teca Lamboglia (Facebook: Teca Lamboglia Fotografia / Instagram: @tecalamboglia_fotografia) – Edição por André Luiz

A cada lançamento de uma das principais cantoras de metal lírico/sinfônico da atualidade, a finlandesa Tarja Turunen, os fãs brasileiros aguardam o anúncio de uma nova turnê passando pelo Brasil. Desta vez, não foi diferente. Menos de dois anos após sua última passagem pelo país, a cantora retornou para show de divulgação de seu mais recente trabalho, o disco ‘Act II’, com uma nova roupagem e repleto de surpresas. Dada a extensa turnê, que passou por seis capitais, no sábado, 01 de setembro, Tarja desembarcou em São Paulo para apresentação na famigerada casa Tom Brasil. A abertura do evento ficou a cargo da Rec/All.

Banda convidada a abrir os shows da Tarja no Brasil, a Rec/All é um projeto paralelo de alguns dos integrantes dos grupos conhecidos do público brasileiro: Angra e Almah. Formado por Rod Roddi (vocal, Dragon Ball Z/Saint Seiya), Felipe Andreoli (baixo, Angra), Marcelo Barbosa (guitarra, Angra e Almah) e Pedro Tinello (bateria, Almah), a banda seu heavy metal com pegada de hard rock e muito peso, irreverência e performance. Além de faixas do Angra, o destaque ficou por conta da derradeira clássica ‘Sent Seiya’ cantada em uníssono.

Pouco depois das 22h, as luzes se apagaram e o clima de suspense tomou conta do público. Como de praxe, os músicos logo subiram ao palco, e sem muitas delongas, a cantora Tarja ovacionada pelos presentes, iniciou o show com o hit “Bitter End”, do álbum ‘The Brightest Void’. “Estou muito feliz de estar aqui novamente”, afirmou a cantora em bom português, para alegria dos fãs. Na sequência, um hit de ‘Colors in the Dark’ (2013), “500 Letters”, já a pesada e enérgica “Demons In You” formou a trinca inicial espetacular durante a qual era notável tamanha desenvoltura no palco, energia e atitude da musa.

Com uma interpretação um tanto intimista, “Eagle Eye” emocionou, Tarja fez-se ouvir seu timbre único ecoando de forma sublime pelo local. “Diva” veio na sequência – faixa pedida pelo público nos intervalos entre uma música e outra –, com saudações e elogios a cantora vindos da plateia. Logo após um pedido para cuidarmos mais de nossas florestas, fora executada “Calling From The Wild”, a qual seguiu estendida para a banda mostrar suas habilidades; e logo depois a versão icônica da música “Supremacy” da banda Muse – esta que a cantora fez questão de dizer que é uma de suas bandas favoritas – com destaque para as notas alcançadas pela vocalista, impressionando a todos.

Passado e presente se misturaram em uma das partes tão aguardadas pelos fãs, e que a cantora ainda mantém, mas que aos poucos vem reduzindo… Se ontem a cantora apresentava algumas faixas completas da época em que fez parte do grupo Nightwish, hoje ele se reduziu a um medley “quatro em um” com “Tutankhamen”,  “Ever Dream”, “The Riddler” e “Slaying The Dreamer”, muito bem executadas e um tanto irreverente pelo formato atual, mas que continuam provocando uma bela nostalgia.

A parte acústica do set surgiu com “Until Silence”, “The Reign”, “Mystique Voyage” e “House Of Wax” as quais demonstraram a essência, criatividade e versatilidade da cantora, que cuida dos mínimos detalhes de sua produção e faz questão de mostrar isso em suas redes sociais oficiais. Além destas, houve espaço para uma grata surpresa a todos: Tarja fez um cover da música “Lanterna dos Afogados” da banda Paralamas do Sucesso, cantando em bom português. Sem dúvida, impressionou! Mas as surpresas não paravam por aí… Há um tempo fora do set list, eis que surgiram as primeiras notas nos teclados da clássica “Phantom Of The Opera”, as quais levaram o público ao delírio, arrepiante. Mas o show já estava perto de seu fim, e “Victim Of Ritual” fez o desfecho da primeira parte com os presentes cantando em uníssono.

Não demorou muito e a cantora retornou ao palco para o encore, abrindo com os sucessos de seu primeiro disco em carreira solo, o ‘My Winterstorm’ (2007), “I Walk Alone” e “Die Alive”, a faixa “Innocence” e do álbum ‘What Lies Beneath’, o hit “Until My Last Breath” fechou a apresentação a qual durou duas horas. Foi um verdadeiro espetáculo para público, fã e admiradores do trabalho da vocalista, que já consolidou sua carreira de sucesso. Agradecimentos à Top Link Music, Hoffman & O’Brian e assessoria de imprensa do Tom Brasil pelo credenciamento de nossa equipe na cobertura do evento.

Set List Tarja:
No Bitter End
500 Letters
Demons In You
Little Lies
Eagle Eye
Diva
Calling From The Wild
Supremacy (Muse cover)
Tutankhamen / Ever Dream / The Riddler / Slaying the Dreamer (Nightwish)
Until Silence / The Reign / Mystique Voyage / House Of Wax (Acústico)
Lanterna Dos Afogados (Paralamas do Sucesso – Acústico)
The Phantom Of The Opera (Andrew Lloyd Webber cover)
Love To Hate
Victim Of Ritual

I Walk Alone
Innocence
Die Alive
Until My Last Breath

(Visited 136 times, 5 visits today)