Peter Murphy – 07-10-2018 – São Paulo (Carioca Club)

Texto por André Luiz – Fotos por Alvaro Ramos – Edição por André Luiz

Retornando à São Paulo pela quarta vez, exatos quatro anos após sua última passagem pela capital paulista, Peter Murphy aportou no Carioca Club para apresentação única no país, válida pela “Peter Murphy – 40 Years of Bauhaus, Ruby Celebration featuring David J”, celebrando o 40º aniversário do Bauhaus ao lado de outro co-fundador da banda inglesa, o baixista David J. Haskins, além dos músicos Marc Slutsky (bateria) e Mark Gemini Thwaite (guitarra). A turnê “Ruby Celebration” faz menção exatamente à pedra preciosa com a qual se costuma presentear quem comemora aniversários de 40 anos de casamento – podemos dizer que fãs os quais se dirigiram ao Carioca Club no domingo, 07, foram os verdadeiros presenteados pelos músicos. Os precursores do goth executaram seu álbum de estreia ‘In The Flat Field’ de 1980 quase na íntegra – faltou exatamente a faixa inicial “Dark Entries” –, além de uma sequência com clássicos atemporais do Bauhaus.

A data escolhida coincidiu justamente com as eleições de primeiro turno no país, e o que podia se ver na casa de shows eram rodas de conversas em meio a olhares nos celulares abordando os primeiros resultados divulgados das apurações. Pontualmente às 20h, as cortinas se abriram e “Double Dare” deu início a execução do ‘In The Flat Field’ na mesma sequência do álbum clássico, acompanhada pela faixa título e um “obrigado São Paulo” seguido pela apresentação dos músicos antes de “A God In An Alcove” – a dança frenética de Peter e do guitarrista Mark, além de Murphy “performando” com uma coroa na cabeça levaram a vibração da plateia – e “Dive”.

“Spy In The Cab” destacou Murphy com alto falante na mão em meio a David repetindo o refrão seguidamente, já em “Small Talk Stinks” Peter empunhou uma guitarra e fez o público vibrar durante a execução do clássico. “St. Vitus Dance”, “Stigmata Martyr” e “Nerves” encerraram a primeira parte do show dedicada ao debut album do Bauhaus – com público vibrante especialmente nesta última citada, na base das palmas cantando seguidamente o refrão e recebendo um efusivo “obrigado” de Murphy ao final enquanto a banda deixava o palco.

Os músicos retornaram ao palco com uma sequência de clássicos para tirar o fôlego do público, mantendo alta a temperatura do Carioca Club: a faixa título do álbum de 1983 “Burning From The Inside” destacando a presença de palco de Mark e Peter; revisitando o ‘The Sky’s Gone Out’ de 1982 o clássico “Silent Hedges” ensandeceu os presentes com o momento solo de Murphy e o instrumental frenético ditando o ritmo; Peter e seu casaco de flor prateada regeram o público ao som da atemporal “Bela Lugosi’s Dead” arrancando mais um “obrigado” do frontman; nova visita ao BFTI de 1983 com o hino “She’s In Parties” emocionando a todos. “Kick In The Eye” (Bauhaus) encerrou o primeiro encore com mais um momento de forte interação entre banda e plateia, além de Peter e David se abraçando no palco e saudando o público antes de deixarem o palco.

As cortinas não se fecharam e o Carioca Club permanecia no fervor. Desta forma, os músicos retornaram novamente ao palco para executarem as três derradeiras canções: “The Passion Of Lovers” do álbum ‘Mask’ de 1981 para nova explosão dos presentes; o cover do T. Rex “Telegram Sam” tornando a casa de shows em uma pista de dança e; a homenagem ao magistral David Bowie com uma versão de “Ziggy Stardust” entoada em uníssono. Peter e Mark saudaram o público e deixaram definitivamente o palco, encerrando o show em grande estilo às 21h23m.

Considerando o set divulgado inicialmente para a referida noite, ficaram de fora do repertório executado “Crowds”, “Terror Couple Kill Colonel” e “Dark Entries” – justamente a única do debut não executada –, assim como “Severance” do Dead Can Dance foi preterida a versão de Bowie. Se citarmos os sets europeus, ainda podemos citar “King Volcano”, “Kingdom’s Coming”, “Boys”, “Hollow Hills”… Estes foram apenas exemplos do vasto repertório da carreira do Bauhaus a disposição dos músicos para montagem do set apresentado em São Paulo. Houve motivo para reclamar após tão empolgante noite? Talvez por ela ter passado depressa demais… Se Marc Slutsky e Mark Gemini Thwaite demonstraram boa performance no palco, não podemos negar que todos holofotes estavam na dupla co-fundadora do Bauhaus. Arremetendo ao fim anunciado em 2008 com o lançamento de ‘Go Away White’, assistir Peter e David juntos no palco fora um presente aos fãs paulistanos, uma visita à célebre década de oitenta dos entusiastas deste período marcante da música. Agradecimentos à Free Pass Entretenimento e Shameless Promotion PR.

Set List Peter Murphy:
Double Dare (Bauhaus)
In the Flat Field (Bauhaus)
A God In An Alcove (Bauhaus)
Dive (Bauhaus)
Spy In The Cab (Bauhaus)
Small Talk Stinks (Bauhaus)
St. Vitus Dance (Bauhaus)
Stigmata Martyr (Bauhaus)
Nerves (Bauhaus)

Burning From The Inside (Bauhaus)
Silent Hedges (Bauhaus)
Bela Lugosi’s Dead (Bauhaus)
She’s In Parties (Bauhaus)
Kick In The Eye (Bauhaus)

The Passion Of Lovers (Bauhaus)
Telegram Sam (T. Rex cover)
Ziggy Stardust (David Bowie cover)

 

(Visited 46 times, 3 visits today)