São Paulo Oktoberfest – 11-10-2018 – São Paulo (Arena Anhembi)

Texto por André Luiz – Fotos por Evanil Jr. – Edição por André Luiz

A 2ª edição da São Paulo Oktoberfest aconteceu novamente na Arena Anhembi regado a números astronômicos. Com previsão de reunir mais de 120 mil pessoas durante os 11 dias de festa – expectativa de cerca de 20 mil turistas injetando por volta de R# 30 milhões na economia paulistana –, a São Paulo Oktoberfest gerou um investimento de mais de R$ 12 milhões, 1.500 empregos diretos/indiretos e mais de 100 oportunidades para pequenos e médios comerciantes colocarem seus produtos em exibição. O Portal Metal Revolution abordará em tópicos alguns dos destaques da 2ª São Paulo Oktoberfest, assim como ao final da matéria, brindará a todos com um álbum de fotos contendo imagens exclusivas do evento.

Abertura, estrutura e ações sociais
A cerimônia de abertura oficial da festa, na sexta-feira, 28, pelo fundador do festival, Walter Cavalheiro Filho, pelo embaixador Philipp Schiemer, George Witschel, além de representantes das comunidades alemãs que brindaram o início da festa. A degustação contou com mais de 60 pratos diferentes assinados pelo chefe alemão Werner Rotzinge. Além disso estavam à disposição do público mais de 70 rótulos de cervejas espalhados em 11 bares sendo 09 da Eisenbahn e 02 de marcas convidadas, à preços entre R$ 10 e R $17. No que tange a estrutura, as instalações foram montadas em uma área total de 23 mil m², abrigar as áreas Biertent, Biergarten e Bierpark – nas quais aconteceram mais de 110 shows e apresentações culturais –, além da tenda Sunset Bier com capacidade para 2.500 pessoas e na qual foram realizados mais de 50 shows de rock.

O evento também contou com ações de cunho social, como a arrecadação de alimento não perecível nos últimos três dias de festival, a serem doados para o Hospital do Câncer Santa Marcelina e Congregação Cristã no Brasil, os quais atendem crianças e pessoas da melhor idade. E falando na melhor idade, a entrada foi gratuita para mulheres com idade a partir de 60 anos e homens a partir de 65 anos nas duas quintas feiras do evento (04 e 11 de outubro).

Rainha e princesas – as escolhidas
A Realeza da 2ª São Paulo Oktoberfest foi formada pela rainha Ana Paula Tomé e as princesas Gabriela Lima e Rayane Lorenzon. Elas estiveram presentes durante todo o festival, interagindo com o público e marcando presença em cerimônias típicas alusivas à festa. Conforme a assessoria do evento, a Realeza da festa foi escolhida pela organização para representar “a amizade, a alegria, a família e a pluralidade e diversidade da capital paulista, marcada pela importante presença da cultura alemã”.

Ana Paula, que é jornalista e atriz, representa a imigração de outros estados, pois veio de Minas para São Paulo aos 5 anos; Gabriela nasceu e mora na primeira colônia alemã que se instalou em São Paulo, em Parelheiros, em 1829; e Rayane, descendente de italianos, representa a imigração de outras nacionalidades que vieram para a capital paulistana e cursa faculdade de publicidade e propaganda.

Rótulos da experiência cervejeira
Em meio aos mais de 70 rótulos de cervejas espalhados pelos 11 bares disponíveis, haviam bebidas para todos os gostos, dos mais simples aos requintados. Para se familiarizarem aos termos utilizados neste texto, ABV significa teor alcólico e IBU a escala de amargor.

Por ser a principal patrocinadora da festa e responsável pela maioria dos bares – 9 de 11 –, iniciemos pela Eisenbahn a qual trouxe toda sua linha de cervejas, da Pilsen mais comum à Strong Golden Ale. Mas dois rótulos em especial chamaram a atenção, seja pela exclusividade e/ou dificuldade para se encontrar nos comércios habituais na capital paulista: a especial Oktoberfest dourado-escura com 6,5% de teor alcoólico e 7 IBU – criada para comemoração dos 25 anos da Oktoberfest de Blumenau em 2008 – e a Rauchbier, de coloração avermelhada com os mesmos 6,5% de ABV porém com 10 IBU, uma cerveja típica da maltaria alemã de Bamberg, a mais famosa do mundo. A título de curiosidade, “rauch” significa fumaça em alemão e este nome se deve ao fato da bebida ser produzida a partir de maltes defumados pela queima de madeira, tradição esta substituída em meados de 1700 com a invenção de secadores a base de carvão.

Da Caatinga Rocks, destacamos a ESB, English Serelepe Brasileira. De colocoração vermelho alaranjado – praticamente âmbar –, utiliza lúpulos ingleses e seria uma companhia perfeita para carnes assadas. Sua espuma leve contrasta com o amargor de IBU 35 e 5,5% de teor alcoólico.

A Lay Back levou à São Paulo Oktoberfest a lager Ride With Us, elaborada em parceria com o músico Marcelo D2. Clara, leve, harmoniza perfeitamente com peixes e frutos do mar, com 4% de ABV e 15 IBU. Ainda na linha clara e amarga, a cervejaria Avós trouxe o rótulo Vó Maria, com teor alcoólico um pouco maior do que a citada da Lay Back – 4,9% – porém menos amarga – 12 IBU. Já para quem gosta de sentir o amargor, a Berggren Hop Lager com sua coloração dourada eleva a experiência da refrescância Lager mesclado ao aroma da IPA, através de seus 5,6% de ABV e 40 IBU.

Trata-se de tarefa impossível em apenas uma noite degustar os mais de 70 rótulos diferentes disponibilizados na São Paulo Oktoberfest, deixamos a cargo dos apreciadores de cerveja tirar suas conclusões e ampliar o leque de opções para seu consumo.

E a trilha sonora…
Por se tratar de um Portal musical, não poderiamos deixar citar as bandas, músicos e DJ’s participantes. Em meio a destaques como Bavária Band, Banda Malibu, Vox3, Banda do Barril e RockFuzz, na data 11/nov apreciamos três apresentações sendo uma no palco Rock e duas no Biertent.

A Mr. Beat foi formada em 2011 pelas empresárias e cantoras Juliana Moraes e Marisa Marzan. A banda é composta por 14 músicos, entre eles 5 instrumentos de sopro, proporcionando energia e animação do começo ao fim com um repertório mesclando o tradicional alemão e o pop nacional/internacional. Devido ao sucesso na edição 2017, a banda se apresentou em todos os 11 dias do evento, tanto no palco Biertent quanto no Sunset Bier.

Formada por músicos de diferentes estados do Brasil e 5 anos de estrada, a Holofotes se tornou especialista em eventos dos mais diversos tipos no estado de SP. Apresentando-se no Palco Rock – assim como dia 04/out –, a banda trouxe o peso de seu repertório calcado no rock nacional/internacional levando muitos presentes para debaixo da leve garoa que caía na Arena Anhembi na respectiva noite.

Já a Banda do Fritz durante 5 anos percorre o interior paulistano, Minas Gerais e Rio de Janeiro com um repertório passeando entre músicas próprias – como “Chopp São Paulo” e “A Marreca” – e versões de clássicos da música germânica e brasileira. Contando com a figura caricata do frontman Fritz em uma sonoridade a qual a própria banda define como Punk Polka, o grupo lançou no evento seu primeiro álbum. A exemplo da Mr. Beat, Fritz e sua trupe marcaram presença em todos os dias do festival no palco Biertent – como ocorrera dia 11 – e no Sunset Bier.

Fotos e considerações finais
Em sua segunda edição, a São Paulo Oktoberfest levou mais de uma centena de milhar de pessoas à Arena Anhembi – a projeção inicial eram de 120 mil pessoas, não confirmada até a publicação desta matéria – , e em dois anos já colocou a festa entre os 17 eventos principais do roteiro anual da maior cidade da América Latina. Pela magnitude da estrutura montada em 23 mil m², o evento não resumiu-se apenas a degustação de cerveja, mas dedicou amplo espaço para gastronomia, shows musicais e diversão para toda família durante 11 dias.

Confiram álbum completo com imagens exclusivas do festival, de bandas a público e atrações desta grande celebração (agradecimentos à equipe São Paulo Oktoberfest e WGroup). Ein prosit!!!

(Visited 84 times, 1 visits today)