ESPECIAL: SATANISMO TRADICIONAL
18/03/05 - Por Satanica

Nesta terceira parte da série especial, abordamos o tema satanismo tradicional, onde procuramos passar uma pequena introdução aos conceitos desta que é a mais antiga visão do satanismo.

O Satanismo Tradicional, ao contrário do que muitas pessoas desinformadas pensam, existiu muito antes do Satanismo Moderno ou qualquer outra vertente do Satanismo, e pode também ser chamado como Satanismo Primordial. Na realidade, ele existe desde sempre, e muitos ainda o confundem com o Satanismo Gótico, inventado pela Igreja Católica para justificar a Inquisição. Sendo assim, não há fins que justifiquem que o Satanismo Tradicional foi criado pelos cristãos, já que ele existiu ainda antes da própria Igreja Católica.

Depois do surgimento de LaVey com seu Satanismo Moderno, surgiram vários outros grupos de pessoas que diziam pertencer ao Satanismo Antigo, o qual surgira antes da Idade Média. Creio que desses grupos, o mais conhecido seja o ONA (Order of Nine Angles), que publicou o Livro Negro de Satan, onde podemos encontrar rituais Satânicos e instruções para cerimônias mágicas. É uma espécie de manual, como eles mesmos dizem “manual prático e conciso para aqueles seriamente interessados nas Artes Negras”.

Diferente do Satanismo Moderno, que acredita que seu próprio Deus é si mesmo, e as imagens de Satan, Lúcifer, et cétera, que são usadas nos rituais, servem apenas para expressar o "lado negro" da sua natureza humana, o Satanismo Tradicional acredita em Satan como uma entidade real, uma divindade. Nós Satanistas Tradicionais vivemos para crescer, evoluir, buscar perfeição, e não somos iludidos com a idéia de que somos Deuses. Não se pode ser um Deus de uma hora para outra, mas somente os mais sábios, e isso sim, todos podem ser, mas para isso é preciso ter muito conhecimento, auto-desenvolvimento, e só conseguimos isso por nós mesmos, através de nossos esforços individuais, que com certeza dura muitos anos. Como cita a ONA: “os meios para esta realização são essencialmente práticos; isto é, eles envolvem o indivíduo em experiências que desenvolvam o caráter, que são formativas para “o mundo real” em vez de em alguma experiência em ritos “pseudo-místicos”, “pseudo-intelectuais” ou sentando aos pés de algum pretensioso “mestre””.

É muito fácil hoje em dia, e há muitas pessoas que se consideram Satanistas, mas acham que o Satanismo se restringe apenas a partir do momento em que surgiu LaVey com sua Bíblia Satânica, e pensam que o Satanismo Tradicional nunca existiu. Até o próprio LaVey usou do Satanismo Tradicional para escrever sua Bíblia, o que não significa que ele foi o primeiro ser humano que possuiu idéias satânicas. O que acontece é que naquela época, as pessoas tinham pouco acesso ao conhecimento, existiam muitas pessoas com idéias satânicas, mas que nunca foram passadas para o papel. Dá para se acreditar que o Satanismo teve início em 1966? Pois foi muito antes! Exemplos disso temos ao procurar escritos de Twain, Shaw, Baudelaire, cuja literatura havia retratos simpatizantes de Satan. A verdade está aí para quem se interessar, está tudo mais do que acessível, é só procurar, ou aceitar que a única obra verdadeira do Satanismo seja a Satanic Bible, como fazem os cristãos acreditando em sua Bíblia Sagrada. Não nego que a Satanic Bible é muito interessante, e jamais poderíamos a deixar de ler, pois nela há muitas verdades e fatos relevantes, idéias que podemos ver com clareza que tiveram influências de Crowley, Nietzche e vários outros dos quais merecem respeito. Mas daí dizer que esta é a origem, a única verdade do Satanismo (?!), é incoerente.

Mas, enfim, não estou criticando nenhuma ideologia ou ordem, pois nós satanistas não devemos ter em mente as contendas que tanto acontecem no cristianismo, que há uma certa aversão entre católicos e evangélicos, e tantas outras religiões por aí. Satanismo é Satanismo, ele difere entre suas próprias vertentes, mas sua idéia principal está sempre intacta, e o que torna o ser Satanista não é nenhuma ordem, mas sim ele próprio. As Ordens e Associações estão aí para nos dar conhecimento, nos mostrar um caminho. Vai da nossa força de vontade querer seguir adiante e crescer, o que é imperativo que aconteça com os verdadeiros Satanistas.

O caminho para um satanista tradicional não é nada fácil, pois como já mencionei, não é um mestre, ou ritual, ou o que quer que seja que vai lhe tornar um satanista, mas sim teu esforço, indo além dos teus limites, seja físico ou psíquico, o uso do teu lado oculto. O Satanismo é elitista, não é para a maioria. É para os mais fortes, os mais orgulhosos. É claro que os que querem se tornar satanistas geralmente usam da maneira mais fácil, porque lhes convém. Preferem se contentar com grupos que não os façam experimentar seu próprio interior e exterior, porque são pessoas fracas e sem determinação. A ONA, por exemplo, usa de alguns estágios nada fáceis para o ingresso na Ordem, como eles dizem, “nós compreendemos Satanismo como a busca individual para a excelência pessoal, para criar um ser inteiramente novo. Esta busca envolve prática e experiência - porque somente a experiência real cria o caráter”. Na minha modesta opinião, todos os grupos ou ordens deveriam ser assim, pois está claro que de pessoas fracas o mundo está cheio, por isso o caminho deve ser árduo, não para qualquer um, por isso várias pessoas desistem e não conseguem chegar até o fim, porque são pessoas fracas, e o Satanismo não precisa de pessoas fracas. Esses indivíduos precisam de disciplina pessoal. Eles nunca encontraram realmente Satan. Eles acham que o Satanismo é simplesmente mais uma religião, fantasiam demais e não compreendem o Satanismo como um meio de criação de novos e mais desenvolvidos indivíduos.

O Satanista despreza qualquer tipo de fraqueza, e, se elas existem, devem ser eliminadas a qualquer custo, gerando assim um desafio, e cada desafio e provação é visto como uma forma de crescimento, que o torna cada vez mais forte. E os mais fortes e dominantes são os que imperam, os fracos não tem lugar. Outra coisa de extrema importância para um verdadeiro Satanista, que eu não poderia deixar de citar, é o seu próprio corpo, que é sua maior beleza natural. Adoramos o nosso próprio corpo, e também o ato do sexo não só por amor, reprodução ou o que seja, mas simplesmente para saciar as vontades e desejos carnais, podendo assim aproveitar ao máximo tudo o que nosso corpo pode nos proporcionar. Ser Satanista é ser orgulhoso. Ser Satanista é ser forte. Ser Satanista é gostar e pensar em si próprio antes de pensar nos outros.

Alguns trechos e comentários inseridos neste texto foram extraídos de uma matéria da ONA, a qual dá uma introdução ao Satanismo Tradicional, e explica as exigências da própria Ordem para que o indivíduo venha a se tornar um verdadeiro adepto. Disponibilizarei este texto na próxima matéria que aqui for colocada.

"Uma festa para o fogo e uma festa para a água;
uma festa para a vida e uma festa maior para a morte!"
Satanica - administradora www.blackmetal.com.br - Metal Revolution - Curitiba.